quinta-feira, 3 de abril de 2014

"As manifestações artísticas em espaços públicos de Juiz de Fora" - REM/CA Profª Vanêza Lara

Vídeo 'REPORTAGEM DIVERSÃO E ARTE/MGTV - GRAFITEIRA DE JF FERNANDA TOLEDO/PEKENA'  apresentado pelo grupo Pietra, Izabela, Luana e Laís do 1ºMC, dia 02/04/2014. "Artes de rua".

domingo, 30 de março de 2014

quarta-feira, 19 de março de 2014

MA - DESTAQUE DE MARÇO POR FROº JOBER - “ÁGUA DE BEBER, ÁGUA DE VIVER”.


ESCOLA ESTADUAL DUQUE DE CAXIAS
REIVENTANDO O ENSINO MÉDIO
1º. ANO: “ÁGUA DE BEBER, ÁGUA DE VIVER”.
PROFESSOR: JOBER DIAS NUNES - MA

DISCIPLINA/MÓDULO “Conhecendo a água”
DESTAQUE DO MÊS DE MARÇO
12 de março de 2014 Por Ewerton Medeiros em
Cientistas dizem que a Terra tem um reservatório de água secreto
Por Richard INGHAM

PARIS, 12 março 2014 (AFP) – Há 150 anos, em “Viagem ao Centro da Terra”, o escritor francês de ficção científica Júlio Verne descreveu um amplo oceano existente nas profundezas da superfície terrestre. Hoje, essa estranha e assombrosa imagem encontrou eco inesperado em um estudo científico.

Em artigo publicado na conceituada revista “Nature” nesta quarta-feira, cientistas disseram ter encontrado um pequeno diamante que aponta para a existência de um vasto reservatório abaixo do manto da Terra, cerca de 400-600 quilômetros abaixo dos nossos pés.

“Essa amostra fornece, de fato, confirmações extremamente fortes de que há pontos locais úmidos profundos na Terra nessa área”, declarou o principal autor do estudo, Graham Pearson, da Universidade de Alberta, no Canadá. ”Essa zona particular da Terra, a zona de transição, pode conter tanta água quanto todos os oceanos juntos”, explicou Pearson. ”Uma das razões, pelas quais a Terra é um planeta tão dinâmico, é a presença de água em seu interior. A água muda tudo sobre a maneira como o planeta funciona”, completou.

A prova vem de um mineral raro que absorve água chamado ringwoodite, procedente da zona de transição espremida entre as camadas superior e inferior do manto terrestre, explicam os especialistas. A análise do material revelou que a rocha contém uma quantidade significativa de moléculas de água, da ordem de 1,5% de seu peso.

Fonte: Reprodução/Live Science
O manto se situa sob a crosta terrestre, até o núcleo da Terra, a uma profundidade de 2.900 quilômetros. Entre as duas grandes partes do manto – o superior e o inferior -, encontra-se uma zona chamada de “transição”, entre 410 km e 660 km de profundidade.

O principal mineral do manto superior é a olivina. Quando a profundidade e, consequentemente, a pressão aumentam, a olivina se transforma, mudando de estado. Entre 410 km e 520 km, ela vira wadsleyite e, entre 520 km e 660 km, chega a ringwoodite, um mineral que contém água. Essa variedade de olivina já foi encontrada em meteoritos, mas nunca oriunda da Terra, justamente por se encontrar a uma profundidade inacessível.

“Até hoje, ninguém nunca viu ringwoodite do manto da Terra, ainda que os geólogos estejam convencidos de sua existência”, destacou o geólogo Hans Keppler, da Universidade de Bayreuth, na Alemanha, no editorial publicado na “Nature”.

Diamante encontrado em Juína, Mato Grosso – Fonte: Reprodução/Live Science

O mineral ringwoodite foi descoberto pela equipe de Graham Pearson quase por acaso, em 2009, quando os pesquisadores examinavam um diamante marrom sem valor comercial, de apenas três milímetros, procedente da cidade brasileira de Juína, no estado do Mato Grosso. A amostra foi submetida à análise por espectroscopia e difração por raio X durante vários anos até ser oficialmente confirmada como ringwoodite, tornando-se a primeira prova terrestre dessa rocha super-rara. O grupo acredita que o diamante tenha chegado à superfície da Terra durante uma erupção vulcânica. A equipe de Graham Pearson não fala, porém, em água na forma líquida, e sim, contida nesse mineral bem particular.

Ainda falta determinar, como ressaltou Hans Keppler, se a amostra de ringwoodite analisada é representativa do conjunto da zona de transição do manto terrestre. O nome Ringwoodite vem do geólogo australiano Ted Ringwood, segundo o qual um mineral especial criaria uma zona de transição devido às altas pressões e temperaturas nessa área.

Pearson defendeu que as implicações dessa descoberta são profundas. Se existe água, em grande volume, abaixo da crosta terrestre, isso implica um possível impacto significativo nos mecanismos dos vulcões e no movimento das placas tectônicas

 FONTE:dhttp://www.emresumo.com.br/2014/03/12/cientistas-dizem-que-terra-tem-um-reservatorio-de-agua-secreto_3263.htm

terça-feira, 11 de março de 2014

CA Comunicação Aplicada - Profª Vanêza Lara

 
CURRICULO RESUMIDO

Professora VANÊZA LARA
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Artista visual do desenho e da pintura, nasceu em São Paulo-SP e mora em Juiz de Fora-MG período superior a 17 anos.
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Formada em Artes Plásticas/UFJF - 1996.
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Especialista em Estudos Literários em 2008 ICHL/UFJF MONOGRAFIA:  Literatura de Cordel: Experiência de letramento e transdiciplinaridade.
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Especialista em Arte, cultura e educação de 2008 a 2010 IAD/UFJF MONOGRAFIA: Livro Articulado Instaura o Cordel para o saber e fazer Arte, Cultura e Educação. 
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ LIVRO ARTICULADO – Autoria e Registro de Direitos autorais pela Biblioteca Nacional – BN - Rio de Janeiro - 2009.
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ I Colóquio Arte em Trânsito – Colégio de aplicação João XXIII em 2011com o RELATO DE EXPERIÊNCIA: “Livro Articulado: nova ferramenta para a arte, cultura e educação”. 
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ LIVRO ARTICULADO DAS CORES - Autoria - Registro de Direitos autorais pela Biblioteca Nacional – BN - Rio de Janeiro - 2012.
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Autora convidada para OFICINA PEDAGÓGICA com o Livro Articulado com o tema "Músicas de Chico Buarque" alunos do 4º ano do ensino fundamental do Colégio Vianna Junior Juiz de Fora-MG em 2011.
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄ƷProfessora de Artes com o cargo efetivo da EE Duque de caxias em Juiz de Fora e experiência como professora em escolas da rede municipal, estadual e particular.
  Artista Visual, ilustradora e professora de artes e de Comunicação Aplicada para o Ensino Médio da EE Duque de Caxias.

 

DICA - Professor Jober Dias Nunes - 1º ANO D - MA = Meio Ambiente / REM

No site da Fundação Getúlio Vargas-FGV há vários cursos Online gratuitos. Procure acessar o site da FGV e veja os cursos relacionados à sustentabilidade.
* Matriculando e fazendo o curso no final é emitido um certificado
* Comece a incrementar o seu Curriculum

Por Professor Jober Dias Nunes
Bacharel e licenciado em biologoia UFV
Analista Ambiental - UFMG
Educador Ambiental - UFJF
Graduando em Direito - FMG
Técnico em Multimeios Didáticos - JF
IF Sudeste - Instituto Federal Sudeste

ESCOLA ESTADUAL DUQUE DE CAXIAS
REIVENTANDO O ENSINO MÉDIO
PROFESSOR: JOBER DIAS NUNES
DISCIPLINAS E PROGRAMAS 1º. ANO: “ÁGUA DE BEBER, ÁGUA DE VIVER”.

EMENTA: Água. Dimensões biogeográficas, socioambientais e histórico-culturais. Qualidade e tratamento.

 DISCIPLINAS/MÓDULOS E PROGRAMAS
 DISCIPLINA/MÓDULO “Conhecendo a água”
- Número de aulas semanais: 01 AULA
         Programa - Unidades:
1. Propriedades físicas, químicas e biológicas.
2. Uso consciente.
3. Atualidades: A água no Brasil e no mundo
DISCIPLINA/MÓDULO “Problemática socioambiental e saúde pública I”
-Número de aulas semanais: 02 AULAS
         Programa - Unidades:
1. Poluição: Causas e consequências.
2. Problemática socioambiental e Saúde pública.
3. Qualidade e tratamento
DISCIPLINA/MÓDULO “Projetos de educação ambiental”
-Número de aulas semanais: 02 AULAS
         Programa - Unidades:
1. Pedagogia por projetos
2. Projetos voltados para a realidade local.
PROPOSTA CURRICULAR MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS

http://crv.educacao.mg.gov.br/SISTEMA_CRV/banco_objetos_crv/E991B45A2C3C46CBADE0306C700EC80C712013154009_Meio%20Ambiente.pdf
    A PROPOSTA
            O Reinventando, através da reformulação curricular da rede pública de Ensino Médio em Minas Gerais, tem como objetivo a criação de um novo ciclo de estudos com identidade própria, que propicie, simultaneamente, melhores condições para o
prosseguimento dos estudos e mais instrumentos favorecedores da empregabilidade dos estudos ao final de sua formação nesta etapa de ensino.
         Como explica Gadotti, “todo projeto supõe rupturas com o presente e promessas para o futuro. Projetar significa tentar quebrar um estado confortável para arriscar-se, atravessar um período de instabilidade e buscar uma nova estabilidade em função da promessa que cada projeto contém de estado melhor que o presente. Um projeto educativo pode ser tomado como promessa frente a determinadas rupturas. As promessas tornam visíveis os campos de ação possível, comprometendo seus atores e autores.”
         Desta forma, o Currículo não pode ser concebido como mera correia de transmissão de conhecimentos onde o professor deposita os saberes selecionados nos alunos. Daí ser indispensável refletir sobre a seleção e a distribuição dos saberes selecionados.
         Antes de adentrarmos na questão específica da proposta curricular desta área de empregabilidade, vale trazer a concepção de currículo como conhecimento poderoso exposta pelo curriculista britânico Michael Young.
         O autor define como conhecimento poderoso aquele conhecimento especializado a ser transmitido pela escola, independentemente do contexto (YOUNG, 2007).
         Para ele, “o currículo deve excluir o conhecimento cotidiano dos estudantes, ao passo que esse conhecimento é um recurso para o trabalho pedagógico dos professores. Os estudantes que não vão à escola para aprender o que já sabem”.
         Para ilustrar sua defesa, apresenta o seguinte exemplo: “À vezes, esses conceitos têm referentes fora da escola, no ambiente da vida do aluno, numa cidade como Londres, por exemplo. Entretanto, os relacionamentos dos alunos com Londres com Londres como um “conceito” devem ser diferentes de seu relacionamento com a sua “experiência” de Londres como lugar onde vivem.”
         Ora, sem dúvida a escola tem a função de transmitir um conhecimento especializado aos estudantes, mas para ser efetivamente poderoso, a contextualização e a aplicação deste conceito na realidade local é imprescindível. Assim, o conhecimento poderoso seria aquele conhecimento contextualizado que fortalece a ciência e o mundo vivido.
         A proposta para a área de empregabilidade: Meio ambiente e Recursos Naturais deve, portanto, carrear conteúdos que articulem o conhecimento especializado com o contexto local, como forma de articular ações transformadoras aos desafios ambientais da comunidade.
         As práticas pedagógicas para o desenvolvimento da área, como tema transversal que é, devem ter caráter multi e interdisciplinar que envolvam diretamente a realidade do aluno, através de projetos. A Pedagogia por Projetos, neste contexto, emerge como instrumento adequado para o desenvolvimento da proposta curricular de um conhecimento contextualizado, sendo o eixo condutor sugerido para desenvolvimento das múltiplas dimensões do meio ambiente no primeiro ano a Água, no segundo, a Terra, e no terceiro, o Ar. 
EMENTA DA ÁREA DE EMPREGABILIDADE:
            Meio ambiente e suas dimensões: a diversidade biogeográfica e seus processos ecológicos vitais, as influências políticas, econômicas e sociais. A relação entre sociedade, meio ambiente, natureza, cultura e ciência.
OBJETIVOS GERAIS:
            Os objetivos se apresentam em conformidade com o art. 13 da Resolução n. 2/12 do CNE:
- Desenvolver a compreensão integrada do meio ambiente em suas múltiplas e complexas relações para fomentar novas práticas sociais;
- Garantir a democratização e o acesso às informações referentes à área socioambiental;
- Estimular a mobilização social e política e o fortalecimento da consciência crítica sobre a dimensão socioambiental;
- Incentivar a participação individual e coletiva, permanente e
responsável, na preservação do equilíbrio do meio ambiente, entendendo-se a defesa da qualidade ambiental como um valor inseparável do exercício da cidadania;
- Promover o cuidado com a comunidade de vida, a integridade dos
ecossistemas, a justiça econômica, equidade social, étnica, racial e de gênero, e o diálogo para a convivência e a paz;
- Promover os conhecimentos dos diversos grupos sociais formativos do País, que utilizam e preservam a biodiversidade.
SUGESTÕES DE ATIVIDADES
1. Realização de estudos de caso – Problematização;
2. Uso de objetos de aprendizagem multimídias: filmes, animações, simulações, etc.;
3. Uso de espaços não formais de ensino e aprendizagem: museus, teatros, indústrias, parques, etc.;
4. Uso de atividades lúdicas: jogos, brincadeiras, músicas, dinâmicas, etc.;
5. Uso de textos de divulgação científica;
6. Atividades práticas;
7. Elaboração e desenvolvimento de projetos.
REFERÊNCIAS
1. Documentos oficiais que preconizam e/ou orientam a abordagem das temáticas;
2. Livros didáticos e técnicos;
-científicos atualizados;
4. Agências e órgãos estaduais e federais relacionados ao meio ambiente;
5. Sites especializados- áreas de meio ambiente e de ensino;
6. Repositórios de objetos de aprendizagem.

sábado, 8 de março de 2014

CAMISA DO CA "COMUNICAÇÃO APLICADA" - PROFª VANÊZA LARA


CAMISA DAS 03 TURMAS DO CA ( COMUNICAÇÃO APLICADA / REM) ENSINO MÉDIO.

* CAMISA: ARTE/CRIAÇÃO - PROFª VANÊZA LARA

* ALUNOS: ESCOLHAM A COR DA CAMISA POSTANDO MENSAGENS COM O SEU NOME E TURMA POR AQUI OU PELO EMAIL duquearte@ig.com.br OU POR MENSAGEM DO PERFIL NO FACEBOOK = CA PROFESSORA VANEZA

*************************************
**************************************
**************************************
**************************************

CAMISA - TURMA DO MA "MEIO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS" - PROFESSOR JOBER

DESENHO PARA A CAMISA DA TURMA DO MA (Meio Ambiente e Recursos Naturais / REM)

* Ideia da camisa = Profº Jober Dias e
Arte/Criação = prof.ª Vanêza Lara

* ALUNOS: ECOLHAM A COR DA CAMISA COM O PROFº JOBER.
************************************ 
***********************************
**********************************